Uso das TVs conectadas cresce em 2023, segundo pesquisa

De acordo com um levantamento do IAB Brasil, associação que visa o desenvolvimento sustentável da publicidade digital no país, a proporção de usuários de internet no Brasil cresceu significativamente entre 2015 a 2023, com 52% (102 milhões) e 84% (156 milhões) dos acessos, respectivamente. Com destaque para o uso das TVs conectadas.

Desde 2015 que os usuários de internet no país apresentaram crescimento, com exceção do ano de 2021 (148 milhões), que obteve um resultado negativo em relação a anterior, quando registrou 151 milhões de internautas.

Conforme os dados, o acesso via televisão também tem crescido no Brasil, sendo o único dispositivo cujo uso vem aumentando significativamente todo ano, desde o início da série histórica TIC, em 2018, quando apenas 29% dos usuários da internet usavam as TV conectadas. Em 2023, esse número pulou para 58%. O smartphone é o dispositivo mais usado pelos internautas, algo que não tem mudado muito desde então. Em 2018, era usado por 97% dos usuários, em 2023 passou para 99%.

O levantamento TV Conectada Brasil 2023: hábitos de consumo e um panorama sobre a publicidade indica que os brasileiros não só estão utilizando mais a TV, mas também têm assistido com mais frequência e por mais tempo. Dos internautas com acesso à internet na TV, 78% consomem conteúdo na televisão diariamente ou quase todos os dias. Já 24% afirmaram passar de uma a duas horas por dia assistindo TV, enquanto 31% despendem entre duas e quatro horas diárias na atividade.

Outro ponto relevante é a divisão de atividades que os usuários fazem enquanto estão com a TV ligada. 83% deles afirmaram realizar uma outra atividade enquanto “assistia TV”, 69% disseram que acessam outros dispositivos (smartphones, tablets, notebooks, etc.) simultaneamente. Já 57% se referem a tarefas domésticas.

Quando se trata da companhia, assistir TV é um momento de lazer compartilhado: a maior parte dos entrevistados assistem com outras pessoas (68%) e geralmente na sala de estar (76%). Enquanto 52% curtem a experiência sozinhos.

Para 78% dos brasileiros a variedade de conteúdo é o principal benefício da TV, além da integração com outros dispositivos e a possibilidade de interação completam os maiores atrativos (71%).

TV aberta versus streaming

Outro ponto importante que o relatório traz é a disputa acirrada entre os aplicativos de streaming e o formato de TV aberta, que dividem o 1º lugar (47%). A TV por assinatura (38%), como a SKY, perdeu espaço para os dois segmentos, e ficou empatada com os aplicativos de música/podcast.

Os usuários dedicam 80% do seu tempo na TV assistindo conteúdos do serviços de streaming. A maior parte dos brasileiros (51%) mantém 1 ou 2 assinaturas mensais de serviços de streaming. Ao mesmo tempo, quase 1/3 desses internautas possuem de 3 a 6 assinaturas pagas. Vale notar que 19% responderam que não assinam nenhuma plataforma.

Conforme os dados, pouco mais da metade dos respondentes chega a navegar pelo conteúdo ou considera fazer isso antes de decidir o que assistir, com 45% das respostas, enquanto que 36% geralmente tem um conteúdo em mente, mas considera navegar pelos conteúdos antes de decidir o que assistir.

Quando se trata das recomendações, 93% leva em consideração essas recomendações, independente de assistir ou não. Dentro dessa perspectiva, 48% costumam assistir a conteúdos que são recomendados, enquanto que 45% dos internautas levam em consideração, mas nem sempre assistem.

TVs Conectadas e anúncios

O segmento de publicidade tem enxergado um mercado promissor nas TVs Conectadas, e será uma das principais tendências em publicidade digital para os próximos anos. Segundo a pesquisa, a CTV é um espaço de oportunidades para anunciantes, visto que 69% dos entrevistados viram anúncios nesse meio recentemente, sendo que, desses, 60% gostam ou não se incomodam com a publicidade.

A personalização dos anúncios é vista como positiva por 66% dos usuários. Quando foram perguntados se já compraram produtos expostos nesses anúncios publicitários, 64% afirmaram que sim, enquanto 36% disseram que não. A pesquisa chegou à conclusão que gostando ou não, anúncios na TV são efetivos: 3 entre cada 5 internautas que viram anúncios realizaram a compra do produto ou serviço posteriormente. Além de que 68% dos que nunca compraram, já se interessaram em adquirir algo depois de ver um anúncio.

Uso das TVs conectadas cresce em 2023, segundo pesquisa

COMENTÁRIOS