Pesquisa do Procon Porto Alegre aponta queda no preço de materiais escolares na comparação com janeiro

Os preços de materiais escolares estão menores em comparação com os valores praticados em janeiro, constatou a segunda pesquisa do Procon Porto Alegre sobre preços dos itens básicos escolares na Capital, divulgada nesta quinta-feira (8). Em em relação ao levantamento anterior, publicado em 12 de janeiro, a variação entre o maior e menor preço dos itens também diminuiu.

O órgão de defesa do consumidor consultou valores nos estabelecimentos Casa do Papel, Cervo e Clip Porto Alegre entre os dias 5 e 8 de fevereiro. A pesquisa anterior também considerava a Cepal.

De acordo com o Procon Municipal, desta vez, a análise foi realizada somente em três locais, porque a papelaria Cepal, que contribuiu com a pesquisa de janeiro, não demonstrou interesse em participar da análise atual. 

Os preços médios dos materiais estão mais baixos para 30 dos 33 itens pesquisados, desconsiderando-se os valores da Cepal no primeiro levantamento. Os materiais que tiveram aumento de preço são a pasta plástica com elástico, que subiu de uma média de R$ 2,16 para R$ 2,51; a pasta polionda, de R$ 4,14 para R$ 4,32; e o caderno pequeno brochura de 96 folhas, que passou de R$ 3,96 para R$ 4,76, na média.

Mesmo com uma menor disparidade nesta pesquisa, muitos materiais continuam com uma alta variação de preço. A caixa com seis unidades de massa de modelar, por exemplo, tem valores que variam entre R$ 1,79 e R$ 3,50, diferença de 95,5%. Já para a tesoura escolar simples a variação é de 20% entre o menor preço (R$ 1,50) e o maior (R$ 1,80). A caneta esferográfica de ponta grossa é vendida com preços entre R$ 0,64 e R$ 1,00, uma diferença de 56,25%. Uma caixa de lápis de cor, com 12 unidades, pode ser encontrada com valores entre R$ 2,99 e R$ 4,50, variação de 50,50%.

Pesquisa do Procon Porto Alegre aponta queda no preço de materiais escolares na comparação com janeiro

COMENTÁRIOS