Pesquisa confirma aumento do desmatamento no Cerrado

Vale lembrar que o maior bioma presente em Goiás é o Cerrado, e ele deve ser protegido. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), divulgados nesta sexta-feira (5), mostraram que o desmatamento caiu na floresta amazônica em 2023, mas, no Cerrado, aumentou. No bioma, o segundo maior do Brasil e o mais presente em Goiás, a taxa foi de 7.828,2 km², o que representa uma alta de 43%, a maior nos últimos 5 anos.

Vale lembrar que o Deter começou a coletar os dados de forma completa apenas em 2019, por isso o comparativo de 5 anos. Inclusive, é a primeira vez neste período que a área desmatada no cerrado é maior do que na amazônia (que cobre cerca de metade do país).

Apesar de Goiás ser um estado onde o Cerrado predomina, a maior perda de vegetação deste bioma, porém, foi registrada na região conhecida como Matopiba, composta por Maranhão (1.765,1 km²), Bahia (1.727,8 km²), Tocantins (1.604,4 km²) e Piauí (824,5 km²).

De acordo com a Folha de S.Paulo, esta área de desmatamento no Cerrado abriga uma nova fronteira do agronegócio e a porção mais preservada do cerrado.Devido ao calendário de divulgação do Deter, os dados para 2023 publicados até agora vão só até o dia 29 de dezembro.

Os dados divulgados sucedem a necessidade do lançamento da quarta fase do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento no Cerrado (PPCerrado), que aconteceu no fim de novembro passado. Realizado pelo governo federal, houve a promessa da implementação de um novo conjunto de medidas intersetoriais para tentar conter a destruição de parte da vegetação do bioma.

Leia mais sobre: Meio Ambiente

Carlos Nathan SampaioCarlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia – IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.

Pesquisa confirma aumento do desmatamento no Cerrado

COMENTÁRIOS