Para 42%, punições contra golpistas são exageradas, aponta pesquisa | Política

Pesquisa do instituto Altas/Intel divulgada nesta segunda-feira (8) sobre o primeiro aniversário dos ataques golpistas às sedes dos Três Poderes mostra que 42,8% dos entrevistados acham as punições contra os envolvidos na intentona bolsonarista exageradas. O índice dos entrevistados que concordam com as sanções do Supremo Tribunal Federal (STF) chega a 36,1%.

Cerca de 2.150 pessoas foram presas entre os dias 8 e 9 de janeiro de 2023, durante e depois dos ataques promovidos por bolsonaristas à Praça dos Três Poderes. A Procuradoria-Geral da República (PGR) já apresentou 1.412 denúncias contra os envolvidos: 1.156 foram acusados de incitar as invasões, 248 por executá-los e 8 agentes públicos por omissão.

O STF já aceitou a denúncia contra 1.354 pessoas, com 30 condenações cujas penas variam entre 3 e 17 anos de prisão. Até o momento, 66 pessoas seguem presas, das quais 8 foram já condenadas pelo Supremo.

O levantamento do Atlas também identifica uma divisão sobre a responsabilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nos eventos: 52,8% acham que ele deveria sofrer alguma punição legal, enquanto 43,3% acham que não. Entre os entrevistados, 14,6% disseram concordar com os ataques às sedes dos Três Poderes, ação condenada pela maioria (74,2%).

A pesquisa Atlas foi feita via recrutamento digital aleatório com 1.200 respondentes entre domingo (7) e segunda-feira (8). A margem de erro é de três pontos percentuais.

Para 42%, punições contra golpistas são exageradas, aponta pesquisa | Política

COMENTÁRIOS