Números de imóveis para locação em Nova York é o menor em meio século, diz pesquisa

O índice de imóveis vazios em Nova York caiu para 1,4%, o mais baixo em mais de meio século, segundo um relatório divulgado nesta quinta-feira pelo departamento de habitação da cidade. Realizada a cada três anos desde 1965, em colaboração com o Censo dos Estados Unidos, a pesquisa de imóveis da cidade é usada para determinar a necessidade de controle e estabilização de aluguéis.

Entenda: Metropolitan Opera, de Nova York, luta para superar maior criseGolpe: Justiça de Nova York acusa magnata do setor imobiliário de roubar R$ 430 milhões

O levantamento alerta que, sem investimento público, os moradores de renda mais baixa terão cada vez mais dificuldade de encontrar um lugar para morar. Em dois anos, o índice passou de 4,54% para 1,4%, o mais baixo desde 1968, apesar de o parque habitacional líquido ter crescido 2% (cerca de 60 mil unidades), o que se traduz na escassez de imóveis disponíveis, que pressiona os preços para cima, em uma cidade onde a média do aluguel gira em torno de US$ 4,1 mil mensais (R$ 20 mil).

Veja imagens do Central Park, em Nova York 1 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: SPENCER PLATT / AFP 2 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP 3 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: SPENCER PLATT / AFP 4 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: SPENCER PLATT / AFP 5 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: SPENCER PLATT / AFP 6 de 6
Central Park, em Nova York, durante a primavera. O local é um oásia de tranquilidade no ambiente urbano da cidade e um dos pontos turísticos mais visitados da Big Apple — Foto: SPENCER PLATT / AFP

Um dos pontos turísticos mais famosos da Big Apple

Apenas 33 mil imóveis dos cerca de 2,3 milhões de apartamentos de que a megalópole dispõe para abrigar seus 8,5 milhões de habitantes estavam disponíveis para locação entre janeiro e junho do ano passado, período em que foi realizada a pesquisa. O mercado mais afetado era o de imóveis com aluguéis inferiores a US$ 2,4 mil (R$ 12 mil), onde a disponibilidade era de 1%.

“Os dados são claros: a demanda para morar em nossa cidade ultrapassa em muito nossa capacidade de construir moradias”, declarou o prefeito de Nova York, Eric Adams, na apresentação do relatório.

‘Não tenho futuro’: imigrantes idosos em Nova York enfrentam dificuldades após anos em busca do ‘sonho americano’

Com uma demanda para cerca de 275 mil novas moradias, especialistas consideram que, para haver um mercado fluido, o índice de vacância deve se situar entre 5% e 8%. Autoridades não conseguiram até hoje derrubar as restrições de 1961, que limitam o tamanho dos prédios e impedem novas construções em algumas áreas, além de dificultarem a transformação de muitos imóveis comerciais esvaziados durante a pandemia em edifícios residenciais.

“Sem novas ferramentas e mudanças no uso do solo, a oferta de moradias disponíveis na cidade de Nova York simplesmente não pode acompanhar o ritmo da demanda”, ressalta o documento.

Segundo um relatório de 2022 encomendado pelo grupo do setor imobiliário Real Estate Board of New York, citado pela imprensa local, a cidade precisa de 560 mil novos imóveis até 2030 para enfrentar o crescimento demográfico previsto.

Números de imóveis para locação em Nova York é o menor em meio século, diz pesquisa

COMENTÁRIOS