Atenção! Pesquisa divulga EXCELENTE NOTÍCIA sobre a inadimplência nas família do Brasil

O índice de famílias em situação de inadimplência, independentemente de estarem em atraso, atingiu 78,1% em janeiro deste ano, conforme revelado pela mais recente Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

Os dados foram divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) nesta quinta-feira (1º). Assim, esse percentual representa um aumento em relação aos 77,6% registrados em dezembro e aos 78% de janeiro de 2023.

Todavia, curiosamente, embora o índice global de endividamento tenha apresentado crescimento, houve uma queda na parcela de famílias em inadimplência, ou seja, aquelas com contas e dívidas em atraso.

Em janeiro, esse indicador atingiu 28,3%, representando o menor percentual desde março de 2022. Comparativamente, em janeiro de 2023, a taxa havia sido de 29,9%, e em dezembro de 2023, 28,8%.

Sem dúvidas, esses números revelam um cenário complexo, onde o endividamento persiste, mas há indícios de uma recuperação em relação à inadimplência. Essa dualidade desperta o interesse em compreender melhor os fatores que contribuem para essas tendências.

Então, se você deseja aprofundar seus conhecimentos sobre esse tema e explorar informações relacionadas de relevância, continue conosco!

Entenda melhor os dados sobre a inadimplência divulgados na pesquisa
Pesquisa aponta para uma queda em relação a inadimplência das famílias brasileiras. Imagem: Brasil de Fato – Minas Gerais.

O índice de famílias que enfrentam dificuldades para honrar suas despesas alcançou 12% em janeiro deste ano, apresentando uma leve queda em comparação com os 12,2% registrados em dezembro, embora tenha superado os 11,6% de janeiro de 2023.


Você também pode gostar:

Uma análise mais detalhada revela que as famílias com renda situada na faixa de cinco a dez salários mínimos (equivalente a R$ 7.060 a R$ 14.120) foram as únicas a experimentar uma redução no nível de endividamento.

Curiosamente, essa mesma faixa de renda foi a única a testemunhar um aumento na inadimplência.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, compartilhou sua visão otimista sobre os resultados, afirmando, por meio de uma nota à imprensa, que a pesquisa de janeiro projeta um cenário positivo para o ano em curso.

Tadros ressalta que, de maneira geral, as pessoas estão gradativamente quitando suas dívidas, permitindo-lhes planejar novos investimentos, adquirir produtos e retomar o consumo com maior confiança.

De acordo com as informações divulgadas pela Agência Brasil, o cartão de crédito continua sendo o principal vilão da inadimplência do consumidor, representando expressivos 86,8%.

Além disso, outros fatores contributivos incluem carnês (16,2%), crédito pessoal (9,7%) e financiamentos de casa e carro (8,4%).

Você pode se interessar em ler também:

Desenrola Brasil em 2024 – confira as facilidades ainda disponíveis nas renegociações de dívidas

O governo anunciou uma significativa atualização relacionada ao Desenrola Brasil, um programa de renegociação de dívidas que se tornou peça fundamental na estratégia de redução da inadimplência no país.

A grande novidade é que a plataforma do Desenrola Brasil agora estará disponível não apenas diretamente, mas também integrada aos sites de bancos, birôs de crédito e outras instituições financeiras devidamente cadastradas no programa.

Vale mencionar que, desde o seu lançamento no ano anterior, o programa atingiu um marco impressionante, beneficiando um total de 11,5 milhões de brasileiros em diferentes fases do processo de renegociação.

Segundo dados do Ministério da Fazenda, aproximadamente R$ 34 bilhões em dívidas foram renegociados ao longo desse período, contribuindo significativamente para uma redução na inadimplência.

O Desenrola Brasil encontra-se atualmente em uma fase dedicada ao auxílio de cidadãos com dívidas diversas, expandindo seu alcance para além das questões bancárias.

A participação no programa está aberta a indivíduos que possuam uma renda mensal igual ou inferior a dois salários mínimos, ou que estejam devidamente inscritos no Cadastro Único (CadÚnico).

Em resposta à crescente repercussão nas redes sociais, o Ministério da Fazenda esclarece que os participantes contemplados pelo Desenrola Brasil não perdem seus benefícios sociais.

Adicionalmente, ressalta que a participação no programa não afeta a elegibilidade para outros programas governamentais, como o Bolsa Família.

Outras informações importantes sobre a inadimplência no país

Levantamento da Serasa em novembro de 2023 aponta queda consistente no número de consumidores em inadimplência pelo segundo mês consecutivo.

Atualmente, 71,1 milhões de brasileiros estão em situação de inadimplência, representando uma redução de 706,4 mil em relação ao mês anterior.

Perfil da Inadimplência por Faixa Etária:

Faixa etária de 41 a 60 anos lidera, com 35,0% do total de pessoas em inadimplência;
26 a 40 anos corresponde a 34,2% do panorama, enquanto a faixa etária acima de 60 anos representa 18,7%.

Serasa Limpa Nome: Soluções para Regularização Financeira:

Oferece serviço especializado de negociação de dívidas com condições atrativas;
Descontos concedidos na plataforma totalizaram R$ 11,74 bilhões no último mês, com uma média de R$ 665,90 por acordo realizado.

Ampla Variedade de Oportunidades para Negociação:

Existem mais de 533 milhões de oportunidades disponíveis para negociação no Serasa Limpa Nome;
Valor total das ofertas ultrapassa os R$ 786 bilhões, proporcionando opções diversificadas para regularização de pendências financeiras.

Atenção! Pesquisa divulga EXCELENTE NOTÍCIA sobre a inadimplência nas família do Brasil

COMENTÁRIOS